top of page

Projeto de pesquisa, desenvolvimento e inovação que faz gerenciamento do canal de navegação e transforma lama do Porto do Açu em materiais para a construção civil ganha selo da PIANC Internacional

Atualizado: há 5 dias

Estudo realizado em parceria com universidades e empresas inova no aprimoramento dos processos de gestão da navegação e dragagem



Um projeto de pesquisa, desenvolvimento e inovação focado na gestão dos canais de navegação e reutilização da lama fluida dragada no Porto do Açu, no Rio de Janeiro, foi certificado pela PIANC Internacional na categoria “Supporter of Working with Nature”. O selo foi concedido ao porto brasileiro em março deste ano pelo desenvolvimento de um modelo de economia circular ambientalmente sustentável e por práticas eficientes de dragagem.


A coordenadora de Inovação do Porto do Açu, Juliane Carneiro, explica que o projeto envolveu um estudo minucioso das características da lama e do sedimento retirado do canal de navegação.


Esse processo incluiu uma análise detalhada do ambiente por modelagem hidrosedimentolígica, considerando todas as suas características, a fim de aproveitar ao máximo suas particularidades e identificar oportunidades para melhorar a eficiência operacional do porto. Além disso, os pesquisadores também investigaram as propriedades do material com foco na produção de blocos e argamassa para utilização na construção civil.


"Este é um projeto bastante completo. Estudamos as características do ambiente para entender os processos e relacionamos com dados meteoceanográficos para estudo de janelas operacionais e seguras. Paralelamente, exploramos como essas características poderiam ser aproveitadas em outras aplicações. Nosso foco foi questionar se existem alternativas sustentáveis que ainda precisamos explorar e considerar", comenta.


O projeto no Porto do Açu teve início há cerca de dois anos sob a liderança de Juliane. No entanto, a pesquisa sobre os usos da lama fluida remonta ao período de seu doutorado em Engenharia Oceânica, realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A pesquisa também foi reconhecida pela American Society of Civil Engineers (ASCE), em 2016.


A metodologia desenvolvida para analisar os sedimentos dragados do fundo dos portos é aplicável a qualquer porto. “No entanto, devido à variação dos sedimentos em cada local, é importante que sejam feitos estudos específicos para compreender as particularidades de cada tipo de lama fluida. É necessário estudos complementares para garantir que se obtenham resultados semelhantes em outros portos”, detalha a pesquisadora.


O projeto já possui resultados materiais e resultou na produção de blocos e argamassa que podem vir a ser utilizados, por exemplo, no pátio do porto no próximo momento.

Para Juliane, o reconhecimento internacional da PIANC ao projeto brasileiro é importante para destacar o trabalho dos cientistas no setor portuário e de navegação, ampliando a visibilidade das conquistas nacionais nessa área.


“Na minha visão técnica, é importante estar inserido na PIANC no sentido de acompanhar os desenvolvimentos globais e também para mostrar ao mundo que o Brasil possui projetos extremamente avançados. Um órgão como a PIANC nos ajuda a dar visibilidade ao que é feito internacionalmente e ao que realizamos aqui no Brasil”, comenta.


“Já a minha visão como colaboradora de um porto, liderando uma frente em um tema estratégico, penso que estar ligado à PIANC nos ajuda a estar alinhados às melhores práticas globais, seja na técnica, na pesquisa, no desenvolvimento ou na inovação. É essencial que o Brasil esteja conectado a organizações como esta. Estamos empenhados em garantir que a realidade brasileira seja representada na PIANC”, conclui.

O projeto teve o apoio da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), da startup Argonautica Engenharia & Pesquisas e empresa MICROARS Engenharia com a Porto do Açu Operações. Além disso, o estudo contou com o aporte financeiro do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento (CNPq), pelo edital de Empresa Inovadora, com o custeio exclusivo de bolsas de pesquisa para estudantes e pesquisadores.


O selo "Supporter of Working with Nature" é uma iniciativa internacional da PIANC que promove uma abordagem integrada e proativa para iniciativas, programas, pilotos e projetos promovendo como exemplos de melhoras práticas internacionais. A PIANC destaca esses projetos por meio da concessão de um Certificado de Reconhecimento.

15 visualizações0 comentário

Комментарии


bottom of page